São Desidério é o município que mais investe em saúde no Oeste da Bahia

Mais de 90% dos municípios baianos investem abaixo da média nacional na saúde, porém São Desidério aparece em terceiro lugar, como um dos que mais investiu na área no ano de 2017 na Bahia e primeiro do Oeste

FOTO Ascom

Cheilla Gobi

Lista divulgada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), nesta segunda-feira (21), com os gastos de saúde em todos os municípios do Brasil no ano de 2017, mostra que São Desidério, no Oeste da Bahia gastou R$ 912,07 por habitante, um investimento acima da média brasileira classificando como o terceiro município que mais investiu em saúde na Bahia. Considerando-se apenas a Bahia, a média de investimento foi de R$ 470,66 por pessoa.

Prefeito de São Desidério, Zé Carlos | FOTO Cheilla Gobi

 A média estadual de 2017 é ligeiramente maior do que a registrada nos dois anos anteriores: R$ 459,19 em 2016 e R$ 464,64 em 2015. Os dados são referentes às declarações no Sistema de Informações sobre os Orçamentos Públicos em Saúde (Siops), do Ministério da Saúde.

Segundo o prefeito de São Desidério, Zé Carlos, os investimentos foram feitos, sobretudo em saúde preventiva, na qualificação dos profissionais, na melhoria de procedimentos, na aquisição de equipamentos, dentre outros serviços na área. Garante ainda, que este resultado é fruto de um trabalho incessante da atual gestão que aplica os recursos públicos com eficiência e honestidade para trazer melhorias de vida para os munícipes.

Desde 2017 quando a nova gestão assumiu a administração pública, muitas mudanças foram realizadas e uma nova estratégia de investimento foi aplicada.

“São Desidério tem se preocupado em melhorar a eficiência do sistema”, diz o prefeito ao comemorar o resultado e acrescentou ainda: “Isso mostra que a política de investimento na Saúde tem dado certo e contribui para melhorar a qualidade de vida do povo. Esses dados do Conselho Federal de Medicina mostram que estamos no caminho certo. Vamos continuar investindo forte na saúde e também nos diversos setores da gestão pública”, destacou o gestor.

Secretária de Saúde de São Desidério | FOTO Cheilla GOBI

Conforme o secretário de Saúde de São Desidério, José Barbosa, a administração recebeu uma saúde pública devastada, mas aplicando corretamente os recursos públicos conseguiram ampliar a rede de atendimento com 23 especialidades médicas, exames médicos e laboratoriais. Ele conta que cirurgias e partos são realizados no hospital municipal, farmácia básica abastecida com todos os medicamentos preconizados pelo SUS através do RENAME (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais), que além de distribuídos na própria farmácia básica da sede, também são direcionados aos postos de saúde do município para que o paciente após a consulta médica com solicitação de medicamentos possa retirar no próprio posto os remédios solicitados.

FOTO Ascom

“Facilitando o atendimento, ofertamos também os atendimentos diários nos postos de saúde da sede e zona rural, além do Tratamento Fora de Domicílio (TFD) para pacientes que precisam de tratamento médico na capital do estado, com passagens para deslocamento, pousadas para hospedagem, alimentação e transporte da pousada para os hospitais. Ampliamos também a estrutura física com aquisição de 11 ambulâncias tipo ‘A’ e 02 UTI’s Móveis tipo Master, e agora investindo na construção de mais três Unidades Básicas de Saúde na zona rural, esse é nosso compromisso e dever com o povo de São Desidério, trabalhar e aplicar os recursos  com honestidade”, assegurou o secretário de Saúde, José Barbosa revelando que a meta é continuar investindo no setor para prosseguir com os avanços e manter o município como referência em investimento e qualidade, para cada vez mais melhorar a vida dos munícipes.

Do total de 417 municípios baianos, 391 fizeram investimentos abaixo da média nacional (R$ 403,37) na saúde de cada habitante durante o ano de 2017, conforme o CFM. O levantamento mostra que, naquele ano, o maior valor aplicado por um gestor municipal da Bahia, com recursos próprios, em Ações e Serviços Públicos de Saúde (ASPS), foi de R$ 2.017 por habitante, em São Francisco do Conde. Em seguida, aparecem Madre de Deus (R$ 1.216,95) e São Desidério (R$ 912,07).

Desfavorável do ranking está Conceição do Coité, que aparece com um investimento de apenas R$ 122,84 por cada morador. Na penúltima posição aparece Valença (R$ 124,56), seguida de Santo Amaro (R$ 129,31).

FOTO Ascom


Compartilhe:

Comentários: