Seis cidades do Oeste da Bahia estão entre as que registraram maior número de focos de incêndio nesta semana

De acordo com o Inpe Queimadas Cotegipe liderou a lista com 19 focos.


 

O Inpe Queimadas tem como referência satélites disponíveis para o rastreamento dos focos de incêndio

Ivana Dias

Nesta semana o Inpe Queimadas registrou 85 focos de incêndio na Bahia e entre as 10 cidades com o maior número de queimadas seis delas são da região Oeste. Na quarta-feira (6), Cotegipe registrou 19 focos sendo a primeira da lista, a segunda foi Formosa do Rio Preto com oito e as terceiras, Cocos e Santa Rita de Cássia, cada uma com seis focos de calor.

De acordo com o Secretário de Agricultura de Cotegipe, Marcos Chaves, essa situação abrange até a região de vale. “O prejuízo vem na forma ambiental e econômica. O município tem na pecuária uma das principais fontes de renda, então além das florestas nativas perdemos também muitos pastos. Onde a logística favorece nós tentamos ajudar no combate direto mesmo com caminhão pipa, máquina pra abrir um aceiro e buscar conter o fogo. No dia a dia, levamos a palavra de conscientização aos pecuaristas e agricultores do município, nessa época do ano temos focos que vem pela ação antrópica e/ou de eventos naturais, o que reafirma as lamentáveis condições favoráveis à propagação de chamas, baixa umidade, altas temperaturas”, pontuou o secretário.

Já em Formosa do Rio Preto, o Secretário de Meio Ambiente Geraldo Martins Lustosa Júnior, destaca que os incêndios são monitorados e já estão controlados. “Aqui 98% dos incêndios do município foram criminosos, inclusive temos boletins de ocorrência registrados. Todos os focos de incêndio foram monitorados, 99% deles foram controlados por nossa brigada com o apoio do corpo de bombeiro. Solicitamos duas vezes o apoio do corpo de bombeiros e fomos atendidos nas duas vezes”, afirmou Geraldo.

Em Santa Rita de Cássia, a Secretária de Meio Ambiente Felisangela Mendes destacou que durante todo ano a SEMATUR realiza atividades voltadas para o controle e prevenção das queimadas no município. “Realizamos ações e palestras de conscientização da população em comunidades rurais e sede. Apesar de todo esforço ainda há muitas ocorrências de queimadas, que deve-se a ação do homem que ainda faz uso do fogo em diversas atividades de campo, atrelada ainda às condições climáticas, tais como, a baixa umidade, temperaturas elevadas, ventos forte que juntos se tornam condição favorável para o fogo se espalhar e sair do controle. Também realizamos fiscalizações pontuais, além de monitoramento e ações de Educação Ambiental. Destaco ainda a importante parceria entre a SEMATUR e a Associação dos Bombeiros Voluntários, Anjo Bom, que juntos tem atuado com eficiência no controle das queimadas no município”, disse.

Barra Jaborandi, Tabocas do Brejo Velho e Coribe continuam entre as dez mais afetadas. De acordo com o Inpe Queimadas, o bioma mais afetado na Bahia pelos incêndios é o cerrado, com 65,9% dos focos de calor. Em seguida, a Mata Atlântica com 29,4% e a com caatinga 4,7%.

O Inpe Queimadas, o portal do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, tem como referência todos os satélites disponíveis para o rastreamento dos focos de incêndio.


Compartilhe:

Comentários: