Tendência de valorização e segurança coloca imóvel no foco para investimentos

O número de vendas de novos imóveis cresceu 12,8% em 2021, em comparação com o ano de 2020.

A compra de imóveis continua sendo um dos investimentos mais seguros e sólidos, e a perspectiva do setor para 2022 é animadora. A previsão do segmento é de alta, já que o mercado financeiro colabora. Um dos fatores que contribuem para isso é a alta da taxa básica de juros da economia, conhecida como taxa Selic, depois de seguidos quatro anos em queda.

A previsão, segundo o Diretor da Buriti Empreendimentos (regional do Tocantins), Adriano Lacerda, é que a alta na Selic cause segurança a quem investe em imóvel, seja residencial ou comercial. “Com a alta da Taxa da Selic o imóvel pode ter valorização de mercado entre 15% e 20%, o que é um atrativo para investidores”, detalhou. “Além disso, por se tratar de um patrimônio físico, o imóvel não pode ser confiscado, roubado ou tomado, como acontece com outros bens. A valorização é, historicamente, certa e garantida”, acrescentou.

Em 2021, a venda de novos imóveis cresceu 12,8% em comparação com 2020. Os lançamentos registraram aumento de 25,9% e a oferta final fechou o período com 3,8% de crescimento. As informações fazem parte do estudo Indicadores Imobiliários Nacionais, realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional).

Ajustados para qualquer investimento inicial, os lotes em residenciais e condomínios fechados têm sido uma das opções mais procuradas nesse período. Com entradas facilitadas e parcelas que cabem em praticamente todos os bolsos, são produtos que prometem crescer em vendas no ano de 2022.


Compartilhe:

Comentários: