UFOB obtém plataforma de sequenciamento genético de última geração

Por meio de projeto de pesquisa coordenado pelo Prof. Dr. Jaime Henrique Amorim, do Laboratório de Agentes Infecciosos e Vetores da UFOB (LAIVE-UFOB), a instituição adquiriu a plataforma MinIon, da Oxford Nanopore Technologies. O aparelho utiliza a tecnologia de sequenciamento genético em nanoporo, uma das mais inovadoras da atualidade.

A aquisição

O aparelho e todo o conjunto de insumos necessário ao seu funcionamento foram adquiridos com financiamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, por meio de projeto de pesquisa coordenado pelo Prof. Dr. Jaime Henrique Amorim, visando a descrição da história natural da COVID-19 na população do Oeste da Bahia. A plataforma não estava prevista na versão original do projeto, mas um remanejamento de verba foi realizado a pedido do coordenador para que a tecnologia pudesse ser incorporada à pesquisa.

A metodologia

O sequenciamento em nanoporo é uma nanotecnologia única e escalonável, que permite a análise direta e em tempo real de longos fragmentos de DNA ou RNA. Ele funciona monitorando as mudanças em uma corrente elétrica conforme os ácidos nucléicos (material genético, DNA ou RNA) são passados em um nanoporo de proteína (um orifício em escala nano). O sinal resultante é decodificado para fornecer a sequência específica de DNA ou RNA. O aparelho e do tamanho de um grampeador pequeno, sendo portátil.

Recursos humanos

Em colaboração com os professores Bergmann Moraes Ribeiro e Fernando Lucas Melo, da Universidade de Brasília, o coordenador do projeto treinou a estudante de doutorado Josilene Ramos Pinheiro, integrante do LAIVE-UFOB. A acadêmica visa, em seu doutoramento, estudar variantes genéticas do SARS-CoV-2, vírus causador da COVID-19, detectados em exames realizados pelo LAIVE-UFOB em amostras de pacientes da região oeste da Bahia.

Josilene Ramos Pinheiro é discente do Programa de Pós-graduação em Biologia e Biotecnologia de Microrganismos, da Universidade Estadual de Santa Cruz, Bahia, orientanda do Prof. Dr. Jaime Henrique Amorim.

Aplicações e legado

A primeira aplicação da plataforma será na continuidade dos estudos de variantes genéticas do vírus da COVID-19 já realizados pelo coordenador do projeto e sua equipe. Mas a mesma plataforma pode ser utilizada para sequenciamento de material genético de outros vírus, bactérias, fungos, animais e plantas. As aplicações vão mais além, possibilitando o estudo de doenças genéticas e o entendimento de como os genes influenciam em diversas funções do nosso organismo, na saúde e na doença, e de como interagimos e reagimos a diversos estímulos ambientais e com os alimentos, por exemplo. Além disto, a plataforma permite estudar como os agentes causadores de doença perturbam a nossa saúde nos campos da genômica e transcriptômica. Permite ainda estudar genomas de micro-organismos de um nicho ecológico sem a necessidade de realizar culturas individuais, numa abordagem chamada de metagenômica. Trata-se de um valioso instrumento, que ficara de legado para a região oeste da Bahia.


Compartilhe:

Comentários: