Técnicos do Programa Fitossanitário da Abapa vão apoiar na identificação e combate à ferrugem da soja

Ascom Abapa

Ao participarem de um treinamento, encerrado na última segunda-feira (16), os técnicos do Programa Fitossanitário da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) vão contribuir no apoio à identificação, prevenção e combate à ferrugem da soja nas lavouras da safra 2017/2018. Durante dois dias, os 12 técnicos se reuniram junto aos técnicos do Programa Fitossanitário de Combate à Ferrugem Asiática, da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), para uma atualização e implementação de novas estratégias para identificação, prevenção e combate a
pragas e doenças na lavoura.

Diante do sucesso do Programa Fitossanitário do Algodão no combate ao bicudo-do-algodoeiro, cujos técnicos se distribuem em 22 núcleos de atuação e mobilização de produtores das fazendas, o mesmo modelo de trabalho será replicado no combate à ferrugem asiática da soja. “Por ter uma previsão de área plantada maior e o plantio do algodão ter início depois, os técnicos da Abapa também vão apoiar na articulação para o combate às pragas da soja com ênfase principalmente na ferrugem. No caso do algodão, estamos mobilizados no monitoramento das propriedades para o cumprimento do vazio sanitário, que vai até o dia 20 de novembro”, explica o coordenador do Programa Fitossanitário da Abapa, Antônio Carlos.

Dentre as estratégias para o combate à ferrugem da soja estão a importância do manejo e aplicação correta do fungicida, além do respeito ao vazio sanitário da soja, que este ano, se estendeu até o dia 8 de outubro. Para controle da doença, os técnicos vão gerar alertas fitossanitários que serão
divulgados e repassados para os produtores dos núcleos com o objetivo de criar estratégias para minimizar os impactos da doença no campo.  O treinamento contou também com a participação dos Coordenadores do Programa Fitossanitário da Soja da Aiba,  Armando Nascimento Sá  e Vinicius Miqueias, palestras dos produtores rurais Cézar Busato e Rodrigo Missio; do coordenador de pesquisa do Programa, Marco Antônio Tamai; do fiscal e coordenador do laboratório de ferrugem asiática da Agência de Defesa Agropecuária (Adab), Newton Andrade e da entomologista Monica Martins , da Circulo Verde Consultoria.


Compartilhe:

Comentários: