Teste genético pode ajudar a emagrecer e ter qualidade de vida

Especialistas brasileiros podem enviar os dados para o laboratório no exterior e receber o diagnóstico

“Ah, você é magra porque tem uma boa genética”. Se você tem o corpo magro, tonificado ou até mesmo musculoso, apesar de comer quase tudo, deve ser frequente ouvir isso. O fato é que essa informação pode não ser totalmente equivocada. Alguns endocrinologistas e nutricionistas já estão elaborando o planejamento alimentar de seus pacientes a partir de testes genéticos. Ou seja, a genética pode auxiliar e facilitar a manutenção da saúde e da boa forma. O exame consiste em analisar um mapeamento genético que é capaz de identificar intolerâncias alimentares e se o indivíduo tem problemas para absorver determinados nutrientes.

Os EUA foram pioneiros nessa análise com foco no emagrecimento. A empresa Pathway Genomics patenteou o exame de Pathway Fit e especialistas brasileiros podem enviar os dados para o laboratório no exterior e receber o diagnóstico em 40 dias. Assim é possível elaborar a programação de emagrecimento de seus pacientes. Na Itália, na Universidade de Catânia, especialistas defendem a nutrigenética, que tem o objetivo de, através do DNA, descobrir se o indivíduo tem dificuldades de desintoxicação, capacidade de absorção de gorduras ou carboidratos, além de outros nutrientes.

Em Salvador, existem testes que podem analisar a intolerância de cerca de 221 alimentos, como peixes, frutas, grãos, ervas, carnes, nozes, castanhas, vegetais e leite e seus derivados. “Para realização do teste, é necessário ter solicitação médica. O exame é feito através da coleta de sangue e, com os resultados em mãos, o profissional que acompanha o paciente pode prescrever uma dieta. É possível eliminar alguns alimentos enquanto trata a saúde do intestino, recuperando a flora intestinal, revertendo as intolerâncias e oferecendo mais qualidade de vida ao paciente”, explica Tatiana Ferraz, gestora técnica do Laboratório Sabin, em Salvador.

No blog Frango com Batata Doce, Rodrigo um dos criadores aderiu a dieta Paleo, que, em síntese, descarta todo e qualquer alimento industrializados seguindo o estilo da vida da era paleolítica. Contudo, na dieta estão previsto bacon e queijo coalho o que pode ser uma contradição para aqueles que querem emagrecer. No site ele que a dieta não é adequada a todos pois depende da predisposição genética. “Meu resultado do teste diz que eu respondo bem às dietas com bastante gordura e que devo ter um nível reduzido de carboidratos”.

É importante frisar que antes de aderir a qualquer dieta, o indivíduo deve consultar um profissional especializado. Até porque para fazer os testes genéticos e de intolerância é preciso recomendação médica. O importante é não desistir da saúde.

Fonte: iBahia


Compartilhe:

Comentários: